Blog BIO ACS é vida.

GRUPO A CATEGORIA EM 1º LUGAR

Companheiros Participe do nosso Blog e Sejam Bem Vindos !

ACESSOS ONLINE

VISITAS ONLINE

Total de Acessos em Nosso Blog BIO ACS é Vida.

COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO

ASSOCIAÇÃO


PISO

PISO
REAJUSTE JÁ

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Os Agentes Comunitário de Saúde do Paulista-PE. Entram em Greve.

 AACSPAssociação dos Agentes Comunitário de Saúde do Paulista..


                                                   INFORMA

Conforme foi decidido em Assembléia Geral da Categoria, do dia 25 de Novembro de 2010.

Estamos Paralisando nossas Atividades nas Comunidades de Atuação dos ACS - Agentes Comunitário de Saúde do Paulista-PE., Aparti do dia, 01 de Dezembro de 2010, em reinvidicação ao nosso Protetor Solar, que a vários meses  a Secretária de Saúde do Município não entrega e conforme  a Secretaria de Saúde a Srª Terezinha Amouzinho tinha afirmado em Ofício, que os Protetores Solar seria entregue até o final do més de Novembro/2010 o qual não aconteceu.

OBS: Temos Companheiros ACS em Paulista-PE. com suspeita de Câncer de Pele.


                                                            Á   DIRETORIA

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Agente de Saúde faz Capacitação para identificar Câncer de Pele.

A previsão do Instituto Nacional do Câncer é de 119.000 novos casos de câncer de pele em 2010, em todo o Brasil. Desse total, mais de 5.000 casos serão do melanoma maligno, a forma mais agressiva da doença, que tem mortalidade superior a 90%. A grande arma para enfrentar o tipo de câncer mais freqüente no país é a identificação precoce das ocorrências e o tratamento imediato. A cura total é possível na esmagadora maioria dos casos.

Para possibilitar o diagnóstico do câncer de pele, em tempo hábil para um tratamento eficaz, a Secretaria de Saúde resolveu capacitar mais de 250 profissionais da rede municipal, incluindo médicos, agentes comunitários de saúde, enfermeiros e técnicos de enfermagem. O facilitador do evento educativo será o doutor em dermatologia Emerson Andrade, também presidente da regional de Pernambuco da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Na quarta-feira, dia 24, a partir da nove da manhã, no auditório da ACIC – Associação Comercial e Industrial de Caruaru – Dr. Emerson Andrade conduziu a palestra dialogada com os profissionais que atuam no Departamento de Atenção Básica, coordenado pela Dra. Lígia Beltrão. A identificação dos dois grandes grupos de cânceres de pele – o do melanoma maligno e o dos não-melanomas – a caracterização das formações anormais e o encaminhamento dos pacientes para diagnósticos são alguns dos assuntos a serem tratados na capacitação.

sábado, 27 de novembro de 2010

Insalubridade dos ACS.

A Norma Reguladora nº 15, aprovada por uma portaria do Ministério do Trabalho e atualizada várias vezes desde então, define como insalubridade de grau médio:

Trabalhos e operações em contato permanente com pacientes, animais ou com material infectocontagiante, em [...] hospitais, serviços de emergência, enfermarias, ambulatórios, postos de vacinação e outros estabelecimentos destinados aos cuidados da saúde humana (aplica-se unicamente ao pessoal que tenha contato com os pacientes, bem como aos que manuseiam objetos de uso desses pacientes, não previamente esterilizados)

O fato do ACS ser vizinho dos pacientes não descaracteriza essa insalubridade, ainda mais se considerarmos o grande número de pacientes com os quais o ACS tem contato. Como se trata de insalubridade de grau médio, o ACS deve receber um adicional de 20% em seu salário.

A Consolidação das Leis do Trabalho (a famosa CLT), em seu artigo nº 192, diz que a base de cálculo do adicional é o salário mínimo da região (em 1977 o salário mínimo não era o mesmo para todo o país), mas o Supremo Tribunal Federal considera esse aspecto da lei inconstitucional. A lei continua valendo, mas a Súmula Vinculante nº 4 (do STF) determina que a base de cálculo do adicional por insalubridade deve ser o salário do trabalhador.

Além da previsão na NR 15, o adicional por insalubridade para os ACS também é amparado na jurisprudência, ou seja, em várias cidades já houve decisões judiciais em favor do adicional de insalubridade para os ACS, e isso facilita para que processos semelhantes sejam ganhos pelos ACS de outros municípios.
Existem vários projetos de lei dando aos agentes comunitários de saúde o direito ao adicional por insalubridade.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Agentes de Endemias Fazem um dia de paralização em Cruzeiro do Sul-AC.



Mais de 200 agentes das Endemias lotados em Cruzeiro do Sul fizeram uma paralisação de advertência nesta quarta-feira (24) com o objetivo de alertar o governo do Estado para a necessidade da regularização desses profissionais que atuam no combate ao mosquito da malária e de outras endemias no Juruá.

O presidente do Núcleo do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Endemias (Sindac), Jairo Souza,  informou que a paralisação de advertência tem a finalidade de alertar para a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que determina a demissão ou a contratação dos agentes.

“ Todos são profissionais que prestaram concursos, teve prova de títulos e esperamos que o governo contrate os trabalhadores na folha do Estado e não como estão atualmente, contratados por uma empresa terceirizada, como afirma o TRT. Sou presidente do grupo e agente comunitário de saúde, mas respondo pela categoria aqui no vale do Juruá, e estou aderindo ao manifesto. Os profissionais na verdade não sabem para quem trabalham, se é para o Pró-saúde ou para o governo, por isso queremos uma explicação para a situação”, disse o presidente.

Segundo Jairo o momento atual não é bom para realizar uma paralisação, principalmente porque o ciclo de malária nessa época é muito grande, inclusive tendo ramais que estão passando da meta e o trabalho desses profissionais se torna muito importante.

“ Não é só neste momento que o trabalho dos agentes é importante, mas para a saúde pública. Gostaria que o governo avaliasse com cautela e carinho a situação desses trabalhadores que prestam um importante serviço à comunidade. Vamos esperar uma informação do Sindicato, em Rio Branco, às 12 horas  todos os profissionais irão voltar para as atividades para saber se vamos entrar ou não em greve”, finalizou.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Os ACS Decidiram Greve Geral em Paulista-PE.

Paulista, 25 de Novembro de 2010.


Foi decidido  em assembléia geral da AACSP-Associação dos Agentes Comunitário de Saúde do Paulista-PE., se os Protetores Solar não chegar até o final do més de Novembro/2010, conforme a Secretária de Saúde Srª Terezinha Amouzinho afirmou, a categoria descidiu parar as atividades por tempo indeteminado.


Pois fazem 03 meses que a secretaria de saúde vem dando informação dessencontradas a respeitos dos protetor solar, a categoria já não aguenta mais!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Cuncurso para ACS em Salto de Pirapora-SP.


A Prefeitura de Salto de Pirapora
está com inscrições de
Concurso Público
na cidade de São Paulo.

Ao todo, são oferecidas 60 oportunidades de ensino fundamental. O pagamento é de R$ 600.


As vagas são para agente comunitário de saúde. As aprovados passarão por curso introdutório de formação inicial e continuada a ser ministrado aos candidatos classificados e devem ainda residir na área da comunidade onde irão trabalhar.

Para fazer sua inscrição no Concurso agente comunitário de saúde 2010 acesse o site http://www.publiconsult.com.br/
até o dia 17 de dezembro de 2010.
A taxa custa R$ 20.

A avaliação está prevista para o dia 16 de janeiro de 2011.

Confira aqui o edital.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

14º Salário para Agentes de Endemias em Belo Horizonte-MG.

Depois de passar o ano inteiro com uma alta incidência de dengue, Minas Gerais corre o risco de enfrentar uma grave epidemia da doença com o início do período chuvoso. O problema chegou a tal ponto que obrigou o poder público a usar medidas extremas. Em Belo Horizonte, a prefeitura anunciou pagamento até de 14º salário para agentes de endemias que cumprirem metas. O governo estadual, por sua vez, anunciou hoje a criação de uma força-tarefa, com a participação do Exército e da Aeronáutica, para tentar conter o avanço dos casos.

O Estado registrou cerca de 246 mil notificações de dengue. O número representa aumento de 195% em relação aos 83 mil casos registrados durante todo o ano passado. O crescimento na capital foi ainda maior. Com 67,7 mil notificações este ano, Belo Horizonte teve um acréscimo de 424,4% no número de casos em relação às 12,9 mil notificações em 2009.

Em Minas, 98 pessoas já morreram vítimas da doença ou de suas complicações em 2010, contra 24 no ano passado. No País, segundo o Ministério da Saúde, a dengue causou a morte de 592 pessoas este ano.
Diante do quadro, a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte anunciou que os 4,6 mil agentes de endemias, combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, poderão receber até R$ 700 de bônus caso as equipes cumpram metas propostas pelo do órgão. A prefeitura estima gasto de aproximadamente R$ 2 milhões com a medida, com recursos do Fundo Municipal de Saúde.

De acordo com a secretaria, também foi criado um serviço de telemarketing que fará 390 mil ligações mensais para as residências em áreas de maior risco para alertar moradores sobre o problema e as formas de preveni-lo.

Força-tarefa]

Já o governo estadual informou que serão investidos R$ 60 milhões em ações emergenciais e preventivas nas 20 cidades mineiras que, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, concentram 63,3% dos casos registrados no Estado. Os recursos serão usados por uma força-tarefa formada por 200 militares do Exército, 40 da Força Aérea e 192 agentes treinados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), além de veículos como os chamados "fumacês".
As equipes passarão 15 dias em cada município para vasculhar áreas de risco, trocar recipientes que acumulam água por material escolar e dar orientação à população. "Cada região tem a sua característica. A experiência de um (município) pode funcionar em outro, ou tem que ser adaptada em relação a determinada realidade", disse o governador Antônio Anastasia (PSDB), após reunião com 80 prefeitos para anunciar o plano.

As ações terão início na região metropolitana de Belo Horizonte e em Juiz de Fora, na zona da mata mineira. "Estamos transmitindo essa forma de ver o problema de maneira que, nos municípios, seja também o prefeito o responsável pela coordenação das ações. Precisamos de uma ação intersetorial. Não é uma ação só da saúde, é de todos os setores das políticas públicas e de toda a sociedade", ressaltou o secretário de Saúde, Antônio Jorge.

domingo, 21 de novembro de 2010

Prova do Curcurso de ACS em Oriximiná-PA.



PROVA OBJETIVA: 14 de novembro de 2010



AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE – 2ª ETAPA


01. Os conceitos que orientam o SUS estão previstos no artigo 198 da Constituição e no artigo 7º da Lei 8080, sendo chamados de princípios. Dentre eles, o princípio que deve atender a todos, sem distinção ou restrições oferecendo toda atenção necessária sem qualquer custo, chama-se.

(A) integralidade

(B) equidade

(C) universalidade

(D) intersetorialidade


02. A Lei 8142/1990 - dispõe sobre o papel e a participação da comunidade na gestão do SUS e trata da transferência de recursos financeiros da União, Estados, Distrito Federal e Municípios na área de saúde. O recebimento de recursos financeiros pelos municípios está condicionado a existência do Conselho

(A) Municipal de saúde

(B) De justiça

(C) Estadual de saúde

(D) Social


03. O Agente Comunitário de Saúde desenvolverá suas ações nos domicílios de sua área de responsabilidade e junto à unidade, para a programação de supervisão de suas atividades. São, portanto, atribuições do agente comunitário de saúde, exceto

(A) realizar mapeamento de sua área de atuação.

(B) cadastrar e atualizar as famílias de sua área.

(C) realizar através de visita domiciliar acompanhamento mensal de todas as famílias sob a sua responsabilidade.

(D) fazer curativos e injetáveis em famílias das suas comunidades em que atuam quando houver necessidade.


04. Sobre a Estratégia Saúde da Família é correto afirmar que

(A) é uma unidade pública de saúde destinada a realizar atenção contínua nas especialidades básicas, com uma equipe multiprofissional habilitada para desenvolver atividades de promoção proteção e recuperação características do nível primário de atenção.

(B) a estratégia saúde da família é a porta de entrada do sistema único de saúde local.

(C) a proposta da estratégia saúde da família foi idealizada para atender exclusivamente as doenças com maior repercussão na população, tendo com unidade do cuidado a família.

(D) prestar assistência integral respondendo de forma contínua e regionalizada a demanda organizada ou espontânea, com ênfase as ações de promoção á saúde.


05. O exercício da atividade profissional de agente comunitário de saúde permitindo que o mesmo realize atividades de prevenção de doenças e promoção de saúde sob supervisão do gestor local do SUS foi instituída pela

(A) Lei 8080 /1990

(B) Lei 10507/2002

(C) Lei 8142/1990

(D) Lei 10520/2006



06. Para o preenchimento da ficha e relatório que compõem o SIAB é necessário o conhecimento de alguns conceitos que manipularão o Sistema de Informação. Dessa forma, o local de moradia estruturalmente separado e independente constituído por um ou mais cômodos chama-se de

(A) domicílio

(B) microárea

(C) área geográfica

(D) território


07. Alguns cuidados são realizados com o objetivo de melhorar a qualidade da água ingerida pela população.Constitui medidas práticas de tratamento realizado no domicílio

(A) filtração

(B) fervura

(C) produtos desinfetantes que tem ação germicida

(D) todas as alternativas estão corretas


08. O produto que pode ser usado pelas estações de tratamento para desinfetar a água, podendo algumas vezes prejudicar o sabor e o cheiro da água que será utilizada para beber chama-se.

(A) ferro

(B) magnésio

(C) cloro

(D) sulfato


09. Muitas doenças podem ser transmitidas através da água, servindo a mesma de meio de transporte de agentes patogênicos eliminados pelo homem. Dentre as doenças veiculadas pela água, se encontram:

(A) cólera, disenteria, leptospirose

(B) cólera, giardíase, tuberculose

(C) giardíase, tricomoníase, febre tifóide

(D) tuberculose, cólera, hanseníase


10. Em se tratando de hanseníase, marque a resposta incorreta:

(A) a hanseníase é causada por uma bactéria denominada mycobacterium leprae, sendo um parasita intracelular obrigatório.

(B) as incapacidades físicas nos olhos, nas mãos e pés podem ser evitadas ou reduzidas se os portadores forem identificados e diagnosticados o mais rápido possível com técnicas.

(C) o homem é considerado a única fonte de infecção da hanseníase, sendo que o contato se dá através de uma pessoa doente, não tratada, que o elimina para o meio exterior contaminando as pessoas suscetíveis.

(D) o esquema paucibacilar e multibacilar compreende uma duração de tratamento em torno de 1 ano.


11. Considera-se a definição de um caso de hanseníase a pessoa que apresenta uma das seguintes características e que requer quimioterapia:

(A) lesão de pele com alteração de sensibilidade.

(B) lesão de pele com bordas proeminentes.

(C) baciloscopia negativa e cultura positiva.

(D) manchas hipocrômicas sem alteração de sensibilidade tátil.


12. A busca ativa de casos de tuberculose é mais provável entre os sintomáticos respiratórios, para isso é necessário que a equipe esteja preparada para realizar a busca destes grupos, que compreende:

(A) pessoas maiores de 15 anos que apresentam tosse e expectoração há mais de 4 semanas.

(B) pessoas menores de 15 anos com tosse mesmo há 1 semana.

(C) pessoas maiores de 15 anos apresentando queixas de tosse e expectoração por 3 semanas oumais.

(D) pessoas com tosse há mais de 1 semana independente da idade.


13. Qual vacina confere poder protetor às formas graves de tuberculose:

(A) vacina Dupla Adulto

(B) vacina BCG

(C) vacina SABIN

(D) vacina Tetravalente


14. O modo de transmissão da malária ocorre:

(A) por meio da picada do macho anopheles infectado pelo plasmodium.

(B) por meio da picada da fêmea do mosquito anopheles infectada pelo plasmodium.

(C) por meio da picada da fêmea do mosquito Culex.

(D) por meio da picada do macho do mosquito Culex.


15. A hipertensão arterial é definida pelo ministério da saúde com valores:

(A) pressão sistólica maior ou igual a 140 mmHg e uma pressão diastólica maior ou igual a 90 mmHg.

(B) pressão sistólica maior que 130 mmHg e pressão diastólica menor que 80 mmHg.

(C) pressão sistólica maior que 130 mmHg e pressão diastólica maior que 100 mmHg.

(D) pressão sistólica maior que 140 mmHg e a pressão diastólica maior ou igual a 80 mmHg.


16. A atuação do ACS nas ações de saneamento básico é de grande importância uma vez que este profissional está em contato direto com a comunidade, trabalhando ações educativas na prevenção de doenças veiculadas pela água entre outras. Neste contexto é correto afirmar que:

(A) A drenagem de águas pluviais é uma das principais atividades de saneamento ambiental.

(B) O saneamento dos alimentos é uma ação exclusiva do indivíduo, não devendo ser alvo de ação educativa pelo agente comunitário de saúde.

(C) A água só serve de meio de transporte de agentes patogênicos de origem radioativa.

(D) O inadequado destino do lixo não interfere na proliferação de doenças e por isso não é considerado atividade de saneamento básico.


17. A qualidade da água consumida pelo homem deve-se ao fato do tratamento da mesma para torná-la mais pura possível. Entre as medidas práticas de tratamento da água temos a fervura a qual apresenta como característica principal:

(A) Remover todos os organismos e reter grande parte das impurezas.

(B) Ser o modo mais simples de desinfecção e destrói grande parte de microorganismos presentes.

(C) Ter ação química sobre os microorganismos eliminando todos aqueles presentes na água.

(D) Apesar de remover as impurezas só tem ação germicida sobre os microorganismos.


18. A cólera é uma doença que pode levar ao óbito quando há demora em receber o tratamento adequado. O óbito se deve a perda de líquido através da diarréia. Quanto à transmissão desta doença é correto afirmar que ela ocorre por:

(A) Escassez de água para higiene como ocorre nas infecções de pele.

(B) Contaminação da água com excretas e que contém caramujos aquáticos.

(C) Transmissão de insetos vetores que contaminam a água no momento de sua reprodução.

(D) Ingestão de água e alimentos contaminados com agentes infecciosos.


19. O planejamento familiar é regulamentado no Brasil através da lei 9.263/93 a qual refere que a regulação da fecundidade é realizada através de um conjunto de ações que garantam direitos iguais de constituição, limitação ou aumento da prole da mulher, pelo homem ou pelo casal. Neste contexto marque a alternativa correta quanto à atenção em planejamento familiar na redução da morbimortalidade:

(A) Diminui o número de gravidez e abortos desejados.

(B) Aumenta o número de cesáreas para fazer ligaduras tubárias.

(C) Diminui o número de ligaduras tubárias por falta de opção e acesso a outros métodos
anticoncepcionais.

(D) Aumenta o intervalo entre uma gravidez e outra contribuindo para aumentar o nascimento de bebes de baixo peso.


20. De acordo com o Ministério da Saúde (MS) a atenção pré-natal e puerperal deve atender as necessidades das mulheres durante a gestação e pós-parto. Neste sentido a alternativa abaixo que fornece condição para as ações pré-natal e puerperal é:

(A) Diálogo permanente com as mulheres sobre aspectos relacionados à assistência pré-natal nas diversas ações comunitárias.

(B) Captação precoce da gestante para acompanhamento pré-natal no segundo trimestre da gravidez visando intervenções oportunas no período gestacional.

(C) Acompanhamento periódico de todas as mulheres grávidas apenas na unidade de saúde
assegurando ações necessárias por meio de procedimentos técnicos.

(D) Humanização na atenção obstétrica apenas para as gestantes visando apenas ações educativas até o parto, e não mais após o nascimento do bebê.


21. Na atenção ao pré-natal e puerpério a equipe de saúde da família deve trabalhar com o único objetivo, porém com funções e ações diferentes de acordo como cada profissional. Neste contexto é papel do agente comunitário de saúde:

(A) Realizar visitas domiciliares, identificando gestantes e desenvolvendo ações medicamentosas parao controle das intercorrências na gravidez.

(B) Avisar ao médico ou enfermeiro sobre a não aceitação da gravidez por adolescentes ou sua família.

(C) Realizar a primeira consulta após a captação precoce da gestante.

(D) Orientar a periodicidade das consultas, identificar situações de risco e realizar o diagnóstico de acordo com a sua observação.


22. O agente comunitário de saúde deve saber identificar os sinais de risco na gravidez para encaminhar a gestante à unidade básica de saúde ou Estratégia saúde da família. Entre as alternativas abaixo qual indica sinais de risco na gravidez:

(A) Inchaço das mãos e sede excessiva.

(B) Febre baixa e tontura.

(C) Vômitos freqüentes e febre alta.

(D) Perda de sangue pelo nariz e dores de cabeça esporádica.



23. A gravidez é um processo onde ocorre alteração do organismo materno. Entre os cuidados importantes durante as ações educativas voltadas para as gestantes e que são de fundamental importância no desenvolvimento do bebê encontramos:

(A) O leite e o queijo ajudam a formar os músculos do bebê.

(B) O uso de cigarro impede que o bebê apresente comprimento adequado de acordo com a idade.

(C) Massagem no bico do seio previne a formação do leite.

(D) Frutas, verduras e muita água diminui o aparecimento de gases e prisão de ventre.


24. Além das ações preventivas a gestantes através da visita domiciliar, o agente comunitário deve orientar a vacinação da mesma. Quando a gestante iniciou o esquema básico, e é vacinada com menos de três doses, deve:

(A) Completar as três doses com intervalo de 60 ou 30 dias no mínimo.

(B) Iniciar o esquema vacinal independente da idade gestacional com pelo menos duas doses.

(C) Completar as três doses com intervalo máximo de 30 dias.

(D) Não é necessário vacinar já que as duas doses imunizam a gestante e ela pode fazer apenas o reforço após cinco anos da segunda dose.


25. O Ministério da Saúde estende o cuidado a mulher desde o pré-natal até o puerpério, implementando ações educativas durante todo o período da gestação. Das alternativas abaixo marque aquela que apresenta um dos objetivos da atenção no puerpério:

(A) Orientar a realização do teste do pezinho.

(B) Avaliar o retorno às condições pré-gravídicas.

(C) Incentivar o aleitamento materno até os quatro meses.

(D) Orientar quanto ao esquema de imunização, a partir dos seis meses de idade.


26. O câncer de mama é uma neoplasia maligna que causa grande número de óbitos em mulheres no mundo, inclusive no Brasil. A cerca deste tema é correto afirmar que a detecção precoce ocorre por:

(A) Rastreamento por meio de exame clínico da mama a cada seis meses para todas as mulheres a partir de trinta anos.

(B) Rastreamento por mamografia anual para mulheres com idade entre 69 e 70 anos.

(C) Exame clínico da mama e mamografia anual a partir dos 35 anos de idade para mulheres em grupos de risco.

(D) Rastreamento por meio de exame clínico da mama a cada dois anos para mulheres com idade entre 50 e 69 anos.


27. O câncer de colo do útero tem sido alvo de muitas discussões na área da saúde. O programa nacional de controle do câncer do colo de útero vem desenvolvendo estratégias no sentido de reduzir a mortalidade e as repercussões físicas, psíquicas e sociais causadas pela doença. Neste contexto, marque a alternativa correta quanto às atribuições do agente comunitário:

(A) Estar em contato permanente com as famílias através de visita domiciliar e orientar quanto a leitura do exame papanicolau (preventivo).

(B) Orientar os indivíduos, famílias e grupos sociais quanto ao fluxo e ações desenvolvidas pela UBS e PSF.

(C) Manter a equipe de saúde informada a respeito da mulher em situação de risco e orientar quanto ao tratamento farmacológico após resultado do exame.

(D) Promover a coleta de secreção no domicilio e encaminhar para a UBS.


28. Existem inúmeros fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer do colo de útero. Os fatores de risco identificados são facilmente perceptíveis pela equipe de saúde, entre estes fatores encontramos:

(A) Baixa condição socioeconômica.

(B) Atividade sexual em fase tardia.

(C) Higiene íntima regularmente e não uso de contraceptivos orais.

(D) Alcoolismo e uso de contraceptivos orais esporadicamente.


29. No planejamento familiar os métodos anticoncepcionais apresentam bons resultados para impedir o aumento da prole na família. O método que afeta a mobilidade do espermatozóide e sua habilidade de fertilizar o óvulo chama-se:

(A) Tabela.

(B) Camisinha.

(C) Diafragma.

(D) Espermicida.


30. O controle de artrópodes é de grande importância sanitária uma vez que através destes pode ocorrer a transmissão de vários tipos de doença. Dentro deste contexto o artrópode que pode provocar o tifo chama-se:

(A) Barbeiro.

(B) Piolho.

(C) Pulga.

(D) Mosca tsé-tsé.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Atuação do BIOmédico e seu dia 20 de Novembro, Parabéns.

  • Análises Clínicas
    • Realizar exames de Análises Clínicas;
    • Assumir a responsabilidade técnica e firmar os respectivos laudos;
    • Assumir e executar o processamento de sangue, suas sorologias e exames pré-transfussionais;
    • Assumir chefias técnicas, assessorias e direção destas atividades;
  • Análises Ambientais
    • Realizar análises físico-químicas e microbiológicas para o saneamento do meio ambiente.
  • Indústrias
    • Atuar em indústrias químicas e biológicas na elaboração de soros, vacinas e reagentes.
  • Análises Bromatológicas
    • Realizar análises para aferição de qualidade dos alimentos.
  • Biologia Molecular
    • Realizar coleta de materiais, análise, interpretação, emissão e assinatura de laudos e de pareceres técnicos.
  • Genética
    • Participar de pesquisas em todas as áreas da genética, como coordenador ou membro da equipe;
    • Realizar exames de Citogenética Humana e Genética Humana Molecular (DNA), realizando as culturas, preparações citológicas e análises;
    • Assumir a responsabilidade técnica, elaborando e firmando os respectivos laudos e transmitindo os resultados dos exames laboratoriais a outros profissionais, como consultor, ou diretamente aos pacientes, como aconselhador genético.
  • Reprodução Humana
    • Atuar em Identificação e Classificação oocitária; Processamento Seminal; Espermograma; Criopreservação Seminal; Classificação embrionária; Criopreservação Embrionária; Biópsia Embrionária e Hatching;
    • Atuar em Embriologia. Realizar a manipulação de gametas (oócitos e espermatozóides) e pré-embriões.
  • Citologia Oncótica
    • Realizar colheita de material cérvico vaginal e leitura da respectiva lâmina, exceto a colheita de material através da técnica de Punção Biópsia Aspirativa por Agulha Fina (PAAF);
    • Realizar a leitura de citologia de raspados e aspirados de lesões e cavidades corpóreas, através da metodologia de Papanicolaou;
    • Atuar no setor de imunohistoquímica e imunocitoquímica, referente ao diagnóstico citológico;
    • Assumir responsabilidade técnica, firmando os respectivos laudos.
  • Banco de Sangue
    • Executar o processamento de sangue e suas sorologia;
    • Realizar exames pré e pós transfusionais;
    • Assumir chefias técnicas, assessorias e direção de unidades;
    • Manusear equipamentos de auto-transfusão;
    • O profissional legalmente habilitado nesta área poderá exercer todas as atividades inerentes a este campo, com exceção do ato transfusional. A responsabilidade técnica deve ficar a cargo de um médico especialista em Hemoterapia e / ou Hematologia.
  • Acupuntura
    • Realizar atendimento em consultório voltado à atividade e procedimentos de Acupuntura;
    • Aplicar o diagnóstico energético (complementar ao diagnóstico clínico nosológico);
    • Aplicar procedimentos técnicos para promoção do equilíbrio energético - orgânico;
    • Exercer atividades ligadas à docência e pesquisa.
  • Imagenologia
    • Atuar em Tomografia computadorizada (TC), Ressonância Magnética (RM), Medicina nuclear (MN), Radioterapia (RT), ultra-sonografia (USG) e radiologia médica, excluída a interpretação de laudos. No que se refere à Tomografia Computadorizada e à Ressonância Magnética, as áreas mais significativas são:
      • Operação de equipamentos;
      • Desenvolvimento de protocolos de estudo e examinação;
      • Desenvolvimento de novas técnicas
      • Coordenação de grupos de colaboradores, administração e gestão de conteúdo e contingente dos setores.
    • Atuar em exame de ultra-sonografia. Por ser um exame praticamente médico dependente (o laudo será elaborado pelo executante do exame) tem poucos Biomédicos atuando neste seguimento quando comparado a TC e RM;
    • Atuar no campo da Informática Médica, exercendo atividades no produto final dos exames, seja o conteúdo de dados ou armazenamento das imagens adquiridas. Os sistemas HIS (Hospital Information System), RIS (Radiology Information System) e PACS (Picture Archiving in Communication System) estão sendo implantados nos centros de diagnósticos e necessitam de profissionais Biomédicos para atuar neste seguimento.
  • Coleta de materiais
    • Realizar toda e qualquer coleta de amostras biológicas para realização dos mais diversos exames, como também supervisionar os respectivos setores de coleta de materiais biológicos de qualquer estabelecimento que a isso se destine. Excetuam-se as biópsias, coleta de líquido, cefalorraquidiano (liquor) e punção para obtenção de líquidos cavitários em qualquer situação.
      ** No exercício das atribuições acima indicadas, poderá o Biomédico assumir a responsabilidade técnica, quer de Laboratórios, quer de indústrias, firmando os respectivos laudos ou pareceres.
      ** Para a realização dessas atividades o biomédico deverá ter o reconhecimento de habilitação na área específica.
      ** Para o exercício de quaisquer das atividades referidas, torna-se indispensável a prévia inscrição do Biomédico neste Conselho
      .

Dengue, 05 Cidades com Risco de Surto e 17 em Situação Alerta em Pernambuco.

 


É o que aponta o novo mapa de infestação do Aedes aegypti divulgado pelo Ministério da Saúde. Campanha nacional alerta sobre o risco de casos graves e mortes Nova avaliação nacional das informações sobre infestação por larvas do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, revela que 15 municípios estão em risco de surto da doença no Brasil, incluindo duas capitais. São 11 no Nordeste, três no Norte e um no Sudeste (veja abaixo). Isso significa que, nessas cidades, mais de 3,9% dos imóveis pesquisados apresentam larvas do Aedes aegypti. Outros 123 municípios, dos quais 11 capitais, estão em situação de alerta (veja abaixo). Neles, entre 1% e 3,9% dos imóveis analisados registram infestação. E 162 cidades apresentam índice satisfatório, abaixo de 1%.

Este é o resultado parcial do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) 2010, apresentado nesta quinta-feira (11) pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão. A metodologia permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município. Neste ano, 425 cidades estavam programadas para participar do LIRAa. Ano passado, foram 169. Do total de municípios previstos para este ano, 300 já enviaram as informações ao Ministério da Saúde, até o momento. Em outras 118 cidades, o estudo está em andamento – e sete inicialmente previstas decidiram não realizar o levantamento.

Em Pernambuco, dos 28 municípios que enviaram informações do levantamento para o Ministério da Saúde até o momento, cinco estão em risco de surto de dengue -- Afogados da Ingazeira, Bezerros, Camaragibe, Floresta e Serra Talhada. Outros 17 estão em situação de alerta e seis têm índices satisfatórios (veja abaixo).
Município
UF
Indice de Infest. Predial (IIP)
2009
2010
Abreu e LimaPE
-
2,0
Afogados da IngazeiraPE
-
11,7
AraçoiabaPE
-
1,8
AraripinaPE
-
s/ infor.
ArcoverdePE
-
3,4
Belo JardimPE
-
1,3
BezerrosPE
-
10,2
Cabo de Santo AgostinhoPE
0,8
0,6
CamaragibePE
2,7
4,1
CarpinaPE
-
0,1
CaruaruPE
3,6
2,8
EscadaPE
-
1,2
FlorestaPE
-
5,7
GaranhunsPE
2,1
s/ infor.
GoianaPE
-
2,9
GravatáPE
-
1,0
IgarassuPE
-
s/ infor.
IpojucaPE
-
1,3
ItamaracáPE
-
1,1
ItapissumaPE
-
0,8
Jaboatão dos GuararapesPE
1,7
3,3
LimoeiroPE
-
2,4
MorenoPE
-
0,9
OlindaPE
1,3
1,1
OuricuriPE
-
s/ infor.
PalmaresPE
-
s/ infor.
PaudalhoPE
-
2,1
PaulistaPE
0,6
0,8
PesqueiraPE
-
s/ infor.
PetrolinaPE
0,8
0,9
RecifePE
1,6
1,9
SalgueiroPE
-
1,0
Santa Cruz do CapibaribePE
-
s/ infor.
São José da Coroa GrandePE
-
s/ infor.
São Lourenço da MataPE
-
s/ infor.
Serra TalhadaPE
-
8,2
TamandaréPE
-
s/ infor.
TimbaúbaPE
-
s/ infor.
ToritamaPE
-
s/ infor.
Vitória de Santo AntãoPE
1,6
2,6

A divulgação do LIRAa 2010 é simultânea ao lançamento da Campanha Nacional de Combate à Dengue para reforçar o alerta que vem sendo feito pelo do Ministério da Saúde desde setembro, quando foi lançada a ferramenta Risco Dengue (leia mais abaixo). Este ano, a campanha aumentará o tom de alerta, com o testemunho de pessoas que tiveram dengue e lembrando as que morreram em decorrência da doença.

“Embora o grau de conhecimento das pessoas sobre a doença e a prevenção seja alto, em torno de 96%, o brasileiro sabe que tem papel fundamental na eliminação dos focos do mosquito, o que ainda é um desafio no Brasil. Prova disso é o resultado do LIRAa deste ano”, alerta o ministro José Gomes Temporão. “Nessa lógica, ganham força duas mensagens fundamentais: que os governos e os cidadãos devem fazer, juntos, a sua parte e que a eliminação de criadouros deve ser algo rotineiro”.

RISCO DENGUE – A nova ferramenta, lançada em setembro de 2010 pelo Ministério da Saúde e pelos Conselhos Nacionais de Secretários Estaduais (CONASS) e Municipais (CONASEMS), combina cinco critérios para avaliar o risco de epidemias de dengue nos estados – incidência de casos nos anos anteriores, índices de infestação pelo mosquito transmissor, tipos de vírus da dengue em circulação, densidade populacional e cobertura de abastecimento de água e coleta de lixo. O Risco Dengue reforça o caráter intersetorial do controle da dengue e permite aos gestores locais de Saúde intensificar e antecipar as diversas ações de prevenção nas áreas de maior risco.

Para o verão de 2011, o Risco Dengue aponta dez estados brasileiros com risco muito alto de epidemia: Amazonas, Amapá, Maranhão, Ceará, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Bahia e Rio de Janeiro. Estes estados receberão a visita do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, nas próximas semanas, para mobilizar gestores e profissionais de saúde e veículos de comunicação.

CAMPANHA – A Campanha Nacional de Combate à Dengue de 2010 traz um novo olhar sobre a forma de lidar com a doença, com a qual o Brasil convive há 24 anos. Uma mensagem mais direta à população sobre a gravidade da dengue e sobre a necessidade de que cada pessoa elimine criadouros do mosquito em sua casa direciona as peças publicitárias impressas, na TV e no rádio.

A renovação de conceito e de estratégia partiu de uma pesquisa de opinião que revelou uma resistência das pessoas em mudar seu comportamento, embora 96% saibam quais os sintomas da dengue e como fazer para combater o mosquito transmissor. A mensagem de 2009, “Brasil unido contra a dengue”, foi substituída por outra, que reforça a responsabilidade do cidadão: “Dengue: se você agir, podemos evitar”.

“Cada vez mais, precisamos difundir a idéia de que dengue não é um problema só da saúde e nem só dos governos. Se a comunidade não se envolver, e se não houver a articulação com outros setores, continuaremos enfrentando aumento de casos e de mortes por dengue no Brasil”, afirma o ministro José Gomes Temporão.

As peças de TV e rádio terão depoimentos de pessoas que enfrentaram a doença e quase perderam familiares, além de declarações de líderes comunitários sobre a importância de cobrar também a ação dos gestores da saúde e de outros setores, como meio ambiente, saneamento básico e limpeza urbana. A campanha terá, ainda, materiais específicos para educadores, crianças e gestores e profissionais de saúde.

CENÁRIO 2009/2010 – Em 2010, até 16 de outubro, foram notificados 936.260 casos de dengue clássica no país, dos quais 14.342 foram classificados como graves. O número de mortes foi de 592. No mesmo período de 2009, foram 489.819 notificações, com 8.714 casos graves e 312 óbitos.

A recirculação do sorotipo DENV-1, que havia predominado no país no final da década de 90, está entre os fatores que contribuíram para o aumento de casos em 2010. Em quase todos os estados, há um grande contingente populacional sem imunidade a este sorotipo. Isto, aliado aos altos índices de infestação revelados pelo LIRAa 2009, representou um cenário favorável à transmissão da dengue em grande escala no Brasil, neste ano.

Além disso, conforme aponta o Risco Dengue, a manutenção de condições precárias de saneamento básico e a irregularidade da coleta de lixo em muitos municípios brasileiros impedem a redução dos índices de infestação pelo mosquito Aedes aegypti. “A falta de abastecimento de água obriga as pessoas a armazenarem em caixas d’água, tonéis, latões sem a devida proteção. O lixo acumulado também abastece o ambiente, de forma permanente, com vários criadouros ideais para a fêmea do mosquito colocar seus ovos”, explica o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue, Giovanini Coelho.

AÇÕES – Desde 2009, com o lançamento das Diretrizes Nacionais para Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue, o Ministério da Saúde tem priorizado o reforço no apoio aos estados, com o envio de:

Veículos e equipamentos • 40 picapes
• 115 motos
• 90 equipamentos para aplicação de fumacê
• 200 nebulizadores para aplicação de inseticidas dentro de imóveis

Medicamentos e insumos • 2,77 milhões de unidades de paracetamol (gotas e comprimidos)
• 2,03 milhões de frascos de soro fisiológico injetável
• 562,7 mil envelopes de sais de reidratação oral
• 5.444 kits para testes de laboratório, suficientes para realizar 530 mil exames

Inseticidas
• 3,42 toneladas de larvicidas
• 219.236 litros de adulticidas

Ainda dentro das ações de reforço, houve o treinamento e a capacitação em todos os estados e no Distrito Federal sobre vigilância epidemiológica, plano de contingência para enfrentamento da epidemia, controle de vetores com preparação e aplicação de larvicidas e inseticidas, técnicas de segurança do procedimento e uso de armadilhas de monitoramento, além de assistência aos pacientes com organização da rede e aplicação da classificação de risco.

Simultaneamente ao trabalho com os estados, o Ministério deu início à revisão dos manuais de diagnóstico e tratamento de pacientes com suspeita de dengue (adulto e pediátrico), com divulgação prevista para dezembro. No próximo dia 18 de novembro, em parceria com a Fiocruz e as redes Telessaúde e RUTE, será realizada videoconferência para capacitar profissionais de saúde de todo o país sobre diagnóstico e manejo clínico da dengue.

Também está em andamento uma parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e com operadoras de planos de saúde para implantação da Classificação de Risco nas unidades de saúde particulares. Em 2009, o Ministério enviou do kit “Dengue: Decifra-me ou Devoro-te” para 300 mil médicos e 292 mil enfermeiros de todo o país, com informações técnicas sobre a doença e manejo clínico de pacientes.

VIGILÂNCIA – No rol de medidas de combate à dengue, o Ministério também ampliou de 48 para 66 as Unidades Sentinelas de monitoramento de circulação viral. Foram destinados R$ 25 milhões aos municípios para incorporarem Agentes de Controle de Epidemias às equipes de Saúde da Família. Entre 17 e 29 de outubro, 25 brasileiros e 15 representantes de nove países das Américas com transmissão de dengue participaram, em Belo Horizonte (MG), do 7º Curso Internacional de Gestão Integrada, Prevenção e Controle de Dengue.

Ampliou-se de 22 para 26 as unidades da federação com Centros de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS). Ao todo, até o fim deste ano, a União repassará a estados e municípios R$ 921,6 milhões por meio do Piso Fixo de Vigilância e Promoção da Saúde. Esse valor não é exclusivo para o combate à dengue e não inclui nem a contrapartida de estados e municípios nem os gastos com equipamentos, medicamentos, inseticidas, kits de diagnóstico e campanha de mídia.

DENV-4 – Após 28 anos sem circulação deste sorotipo no Brasil, o DENV-4 foi detectado em julho, em Boa Vista (RR). Até o momento, dez casos foram confirmados, mas desde setembro não há suspeita de novos casos pelo sorotipo 4. Embora o sorotipo não tenha sido detectado em outras localidades, até o momento, seu ressurgimento em Roraima levou o Ministério da Saúde a emitir alerta a todas as Secretarias Estaduais de Saúde.

Em parceria com as Secretarias de Saúde do Estado de Roraima e do Município de Boa Vista, o Ministério da Saúde adotou medidas de contenção, com a aplicação de larvicidas e inseticidas em todos os bairros da capital, visitas de Agentes Comunitários de Saúde em 100% dos domicílios nos 17 bairros com casos suspeitos e confirmados pelo DEN-4. Além disso, foram intensificadas ações de eliminação de criadouros, limpeza urbana e busca ativa de novos casos suspeitos.

Outras informações
Atendimento à Imprensa
(61) 3315 3580 e 3315 2351
Atendimento ao cidadão
0800 61 1997 e (61) 3315 2425